Geral

Grupo testa limites em montanhas da região serrana de SC

Foto: Maicon Laureano

Passar de dois a três dias entre acampamentos e trilhas, enfrentando a presença de animais peçonhentos e testando os limites do corpo e da mente diante de subidas íngremes e arriscadas. Em troca, histórias memoráveis, vistas deslumbrantes e a sensação de dever cumprido. Há cinco anos, essas experiências motivam um grupo de Tubarão a praticar montanhismo.

“Começamos pela afinidade por técnicas como trekking, que é como se fosse uma trilha, mas com a condição de que você precisa dormir no local, e outras como o campismo e o rapel”, conta o dentista Dikson Claudino, de 42 anos, um dos participantes da equipe de montanhismo de Tubarão.

A expedição mais recente dos aventureiros foi no último fim de semana, quando o grupo alcançou o Pico da Boa Vista, ponto mais alto de Santa Catarina, com 1.825 metros de altitude, localizado entre os municípios de Urubici e Bom Retiro, na região conhecida como Campo dos Padres. “Esta elevação é a segunda maior do Sul do Brasil, ficando atrás somente do Pico Paraná”, comenta Dikson.

Para completar este desafio, foram necessários dois dias de subida íngreme, desde a base da montanha, ainda no município de Anitápolis. “Utilizamos como trajeto um antigo caminho na encosta da Serra Geral, chamado de ‘trilha dos índios’, tudo isso com um peso adicional de cerca de 20 quilos, por conta das provisões necessárias para a investida”, relembra.

De acordo com Dikson, nestes casos, a força física é importante para ajudar a seguir rumo ao objetivo final, mas o fator determinante é o controle da mente. “Na última vez, por exemplo, passamos por algumas situações de possibilidade de queda. O psicológico tem que estar em dia, se não você desiste no meio da subida”, diz o montanhista.

Chegar ao topo de altas montanhas geralmente é o objetivo final de quem pratica essas venturas. Mas não é o único. “Além da beleza da vista do alto, as trilhas muitas vezes também proporcionam belas paisagens. O desafio de se superar, o espírito de equipe, de um ajudar o outro, e o contato com a natureza são outros fatores que me motivam”, resume Dikson.

Equipe

A equipe de montanhismo de Tubarão conta com aproximadamente 20 pessoas, com idades entre 30 e 45 anos, incluindo profissionais das áreas de saúde, educação física, bombeiros, além de técnicos de informática, engenheiros. “Desse total, nem todos participam de todos os desafios. São mais ou menos uns oito que encaram todos”, diz Dikson.

As expedições para montanhismo ocorrem durante todo o ano, em média uma vez por mês, e incluem também trilhas por praias. Porém, é nas estações mais frias do ano que a aventura se intensifica. “As estações são mais propícias para o esporte devido a menor incidência de animais peçonhentos e insetos”, explica o montanhista.

Com informações do Jornal Diário do Sul

Notícias Relacionadas

Esculturas do Paredão agora livres da vegetação, em Orleans

1º Rota do Sul pretende movimentar turismo na região Sul

Orleans apresenta pontos turísticos para colegiado da Amrec

Hotel Curucaca

Bom Retiro/SC

Pousada Pica Pau

Urubici/SC

Serra do Panelão

Urubici/SC

Edelweiss Pousada de Montanha

Urubici/SC

Timbó Park Hotel

Timbó/SC

Hospedagem Flor de Tuna

Urubici/SC

Hotel Fazenda Boutique Terra do Gelo

Bom Jardim da Serra/SC

Il Rifugio Cabanas

Urubici/SC

Hotel Fazenda Rota dos Cânions

Bom Jardim da Serra/SC

Pousada Trinca Ferro

Bom Retiro/SC

Pousada Charme da Serra

Bom Jardim da Serra/SC

Pousada Vale da Neblina

Urubici/SC

Bela Serra Pousada

Bom Jardim da Serra/SC

Corvo Branco Estalagem

Urubici/SC

Hotel Verde Serra

LAURO MÜLLER/SC